Destilação de Cachaça

A separação perfeita dos elementos químicos

Alambiques de cobre no Engenho Serra Geral.

A palavra alambique derivou do significado metafórico de “algo que refina; que transmuta”, mediante a destilação e foi da língua Árabe que nasceram os termos alambique (“al ambic”) e álcool (“al cóhol”) significando, o primeiro, vaso destilatório e o segundo exprime a ideia de ténue e sutil, significando vapores e destilação.

A destilação é o método de separação baseado no fenômeno de equilíbrio líquido-vapor de misturas. Em termos práticos, quando temos duas ou mais substâncias formando uma mistura líquida, a destilação pode ser um método adequado para purificá-las, basta que tenham volatilidades razoavelmente diferentes entre si.

Um exemplo de destilação que tem sido feito desde a antiguidade é a destilação de bebidas alcoólicas e espirituosas. A bebida é feita pela condensação dos vapores de álcool que escapam mediante o aquecimento de um mosto fermentado.

Como o teor alcoólico na bebida destilada é maior do que aquele no mosto fermentado, caracteriza-se aí um processo de purificação.

É uma técnica milenar, de uso na fabricação de bebidas e também de perfumes. Em termos práticos quando temos duas ou mais substâncias formando uma mistura líquida, a destilação pode ser um método para separá-las concentrando certos elementos num só produto.

A destilação de cachaça pode ser feita em alambiques de cobre (cachaça artesanal) ou colunas de destilação (cachaça industrial). O processo artesanal permite a separação dos componentes químicos: cabeça, cauda e do coração do destilado e a eliminação do vinhoto que é o resíduo da destilação, enquanto no processo industrial não há essa separação o que, em geral, influencia na qualidade final do produto.

Os primeiros estudos científicos documentados acerca da destilação surgiram ainda antes da Idade Média, por volta do ano 800, com o alquimista Jabir ibn Hayyan. Foi ele, inclusive, quem inventou o alambique, que é um aparato usado até hoje para fazer destilações de bebidas alcoólicas.

Os árabes compilaram os conhecimentos dos alquimistas existentes até essa época, num livro intitulado “Livro de Crates”. No entanto, será a obra de Jabir ibn Hayyan, que foi publicada no ano de 850 e traduzida para o latim como “De Summa Perfectionis”, que fará com que a Europa recorra ao pensamento e métodos da química.

Ibn Yazid, príncipe da dinastia Umayyad é considerado por alguns autores como tendo sido o alquimista que descobriu a destilação para obtenção do álcool.

A imensa obra do Filósofo e Médico árabe Abu Ali Ibne Sina (Avicena) no séc. X, verdadeira obra-prima dos conhecimentos da sua época, embora não mencione o álcool, descreve detalhadamente o alambique e suas aplicações.

A origem provável do termo Spirits, que se utiliza para denominar as bebidas alcoólicas, teve origem no século XIII, pois nessa altura utilizava-se muito a expressão “espírito do vinho”. O termo francês “Eau de Vie”, que quer dizer “água da vida”, teve origem nas propriedades medicinais das bebidas espirituosas, a que eram atribuídas a virtude de prolongar a vida.

Vida longa e próspera…

Abraços!

Sobre Famigerado Master Blender

Alguém que cresceu visitando engenho para moer cana, tomar garapa e aprender a arte dos Velhos Mestres de Alambique. Ver todos os artigos de Famigerado Master Blender

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: