Mato Verde e a Serra Geral do Padre Azpilcueta

Skyline da cidade de Mato Verde com a Serra Geral ao fundo.

O povoado de Santo Antônio da Rapadura foi fundado em 1 de janeiro de 1873, por coordenação do bispo da diocese de Diamantina, Dom João Antunes dos Santos. O município, com o nome de Mato Verde, foi criado em 12 de dezembro de 1953 e instalado no dia 1 de janeiro de 1954.

O município está localizado no Norte de Minas Gerais, no polígono das secas (semiárido mineiro) na região da Serra Geral que liga a Chapada Diamantina à Serra do Espinhaço e dista 140km a leste da fazenda Morrinhos, do bandeirante paulista Mathias Cardoso de Almeida, amigo e sócio de Fernão Dias Pais que ali fundou o primeiro arraial do estado.

Mas a primeira incursão por essas terras se deu muito antes, no final de 1553 numa expedição de Francisco Bruza Espinoza, explorador castelhano que saiu de Porto Seguro na Bahia atravessando a Serra Geral e os Rios Pardo e Verde em busca do São Francisco e da descoberta de ouro na região.

É portanto, a primeira incursão em terras onde hoje conhecemos como Minas Gerais para explorar pedras preciosas (a Bandeira de Fernão Dias e Mathias Cardoso aconteceu em 1674). Nessa viagem também estava o Padre da Companhia de Jesus Juan de Azpilcueta Navarro da nobre Casa dos Navarros e Loyollas, primo mais novo de Francisco Azpilcueta Navarro (São Francisco de Xavier) e de Inácio de Loyolla (fundador da Companhia de Jesus).

Assim como seu primo Francisco, Juan era Alto e atlético e com sua batina preta jesuítica ficou conhecido entre nossos índios como Ivituruna (Montanha Negra).

Em carta aos colegas Jesuítas de Lisboa (anexo abaixo), Juan relata os perigos da viagem que, confirmando seus maiores temores, seria trágico para sua saúde. O Padre Navarro faleceu em Salvador, pouco tempo após o retorno dessa viagem, assim como seu primo Francisco, que havia falecido 5 anos antes ao fazer uma incursão à China e 1 ano após Santo Inácio, primeiro Geral da Companhia.

3 meses após o início da viagem de Juan Azpilcueta pela Serra Geral, um seu amigo também espanhol e jesuíta avançou sobre outra Serra, desta vez para montar um colégio no Planalto e fundar São Paulo de Piratininga, a maior cidade das Américas em 25 de janeiro de 1554, seu nome: José de Anchieta, que assim como Inácio de Loyolla e Francisco de Xavier também foi canonizado pela Igreja.

Rua Aspicuelta (sic) esquina com Harmonia, no quarteirão do saudoso Restaurante Cozinha com Z.

Mato Verde não tem uma rua sequer em homenagem ao padre Azpilcueta, São Paulo tem (embora esteja grafado de forma errada) e é tão famigerada quanto a Vila Madalena, onde está situada…

Abaixo estão as Cartas Jesuíticas do período e na página 146, a Carta citada acima...

Abraço e boa leitura!

Sobre Famigerado Master Blender

Alguém que cresceu visitando engenho para moer cana, tomar garapa e aprender a arte dos Velhos Mestres de Alambique. Ver todos os artigos de Famigerado Master Blender

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: